Marie – Pós-créditos

Mercurius: Ou seja, o único não agraciado pela amor dela fui eu.

Uma singularidade móvel — não fui apagado, tão pouco abraçado. Eu provavelmente seguirei a vagar sozinho e solitário por toda a eternidade, assim como você.

Porém, embora eu não esteja em desagrado com isto. Assim como você, eu posso ser um estranho à parte que deve continuar a olhar por este reino.

Ren: É mesmo.

Eu abri meus olhos antes de começar a falar…

Eu ainda me dei o trabalho de vir até a França para isso…?

…e então suspirei uma mistura de desinteresse e aborrecimento.

Em primeiro lugar, se vai vagar por aí em sua solidão, por que você veio falar comigo?”

Mercurius: Nós somos ambos exceções.

Você também é uma singularidade. Este tanto de interação é perfeitamente possível para nós. Não há com o que se preocupar, pois não haverá uma segunda ocasião.

Eu meramente considerei, de repente, que você iria gostar de saber sobre certa coisa.

Pode ser que seja algo sem significado, e ainda sim é o que você está fazendo agora. O que o trouxe até aqui para visitar o túmulo dela?

Ren: Não é como se eu tivesse vindo para visitar o túmulo e demonstrar meu respeito.

Para começar, ela sequer está morta. Neste exato momento eu posso sentir o abraço dela.

Eu só queria ver o país onde a Marie nasceu, apenas isso.

Saint-Malo.

Sua costa.

Eu queria ver tudo com meus próprios olhos, caminhar por aqui. Apenas isso.

Ren: Então, o que o trouxe aqui?

Mercurius: De princípio, uma questão que você deveria ter feito ao seu eu do passado. Por que você era o único capaz de tocá-la?

Ren: ………

Mercurius: Você ouviu de Machina a sua verdadeira identidade, correto?

“Você não deseja saber o nome dele?

Quem aquela alma fora um dia…você poderia entendê-la e saber todas as respostas sobre ela.

Numerosas pétalas dançaram na caprichosa brisa que soprava. Como se a Kasumi, que eu deixei no Japão, provavelmente estivesse reclamando sobre algo…

Ren: Não estou interessado.

…Eu respondi, de forma curta e direta.

Mercurius: Hoh.

Ren: Eu sou eu. E assim está bom.

Eu não iria ganhar muito sabendo isso.

Ainda sim, parece que você está bem ansioso para dizer algo, por isso não irei ouvir.”

Mercurius: He――――

O homem atrás de mim engasgou por um instante.

Mercurius: Heheh, heheheh, ahahahahaha…

“Uma boa resposta. Dito isto, parece que não tenho mais o que tratar aqui.

Ren: Sim, se apresse e dê o fora logo.

Ele não podia fazer mais nada agora. Embora fosse impossível ser morto, ele permaneceu semipermanente exilado do reino da Marie.

Ao menos, ele iria permanecer inofensivo contanto que não houvesse uma nova Emanação.

Eu não fazia ideia de quanto tempo ainda restava, mas eu irei proteger a Marie e seu mundo até o fim da minha vida.

Mercurius: Ah, não há motivos para preocupações. Eu também não irei permitir que ninguém pinte sobre ela.

Pois bem, é nossa despedida. Eu abençoo seu amor. E, como antecessor, eu devo contar a você uma interessante verdade.

No momento em que eu esperava pela saída dele, aquelas palavras acabaram me pegando desprevenido e me chamaram a atenção.

Mercurius: Cedo ou tarde, ela será capaz de criar seu sentido do tato.

Foi o mesmo comigo. Embora eu não saiba dizer como e quando isso aconteceu.”

Ren: ………

Ele basicamente está dizendo…

Eu poderei vê-la mais uma vez?

Mercurius: Você poderá vê-la novamente, possivelmente.

Dito isto, o essencial é a crença.

Tamanha inveja que você criou em mim, Fujii Ren.

Adeus, bravo herói da minha ópera.

Adeus, minha amada.

Se o dia em que você puder ver ela mais uma vez chegar, espero que seja gentil e dê meus cumprimentos a ela.

Dizendo isto triunfante, Mercurius desapareceu.

Ren: ………

Eu poderei vê-la de novo…?

Certo…

Eu acreditarei.

Com toda a honestidade, eu não fazia ideia de como o mundo de agora funcionava.

O Eterno RetornoEigou-Kaiki foi repintado, então para onde a alma das pessoas vai agora…o que aconteceu com o Shirou e a Senpai?

Ren: Ei, Marie…

Por ser francesa, ela provavelmente não sabe disso, mas no Japão existe um conceito conhecido como ciclo da transmigraçãoRinne-Tensei.

Não é sobre continuar a repetir as mesmas coisas de novo e de novo, mas sobre renascer em algum momento do futuro.

Se eu supor que o mundo que ela criou for semelhante a isso, nesse caso, não seria impossível para eu encontrar a todos mais uma vez?

Nossas idades provavelmente serão totalmente distintas.

Os países que nascemos também poderiam ser diferentes.

Não seria divertido…se pudéssemos fazer uma segunda festa de encerramento?

E, um instante depois.

—Ren—

Eu pude senti-la…

Marie: “Eu adoraria.”

…atrás de mim.

Ren: Hah…”

…Ahaha.”

Parece que ela gostou da minha ideia.

Certo…”

Eu preciso dizer a Kasumi para viver uma vida longa.

Um dia, todos nós nos encontraremos de novo.

Envolvido pela calorosa luz do Sol, seu calor indicava que esse desejo seria concedido se eu acreditasse do fundo do meu coração.

Anúncios